HISTORIANET

Contemporânea

GUERRA DOS SIPAIOS

 A GUERRA DOS CIPAIOS

Por Claudio Recco, do HISTORIANET

10/05/2012

 

A)     Antecedentes

A ocupação europeia na Índia se iniciou no final do século XV, com a expansão portuguesa. O enorme território que denominamos de “Índia” fazia parte do império Mogol (não Mongol) de predomínio islâmico e estrutura semelhante ao feudalismo, e era ocupado por diversos povos, de origens, línguas e culturas variadas.

Os portugueses foram os primeiros europeus a se instalar na Índia, na verdade, a ocupar algumas regiões do litoral daquela região, criando algumas feitorias, que pudessem garantir o comércio de produtos raros na Europa, as “especiarias”. Em 1498 Vasco da Gama chegou a Calicut e Goa foi ocupada em 1510.

Durante os séculos XVI e XVII ingleses, holandeses e franceses passaram a disputar os mercados orientais e lutaram entre si pelo controle dos lucrativos entrepostos indianos. O domínio inglês consolidou-se com a vitória de Robert Clive, representante da Companhia Inglesa das Índias Orientais, sobre o príncipe bengali 1757. Dois anos depois Clive capturou Chinsura, em Bengala, e pôs um ponto final nos interesses holandeses na Índia. Os combates entre franceses e ingleses prolongaram-se até 1761, parte da Guerra dos Sete Anos entre as duas nações, quando os franceses perderam Pondichéry. O Tratado de Paris de 1763 assegurou a supremacia inglesa na Índia.

Na 2ª. Metade do século XVIII a Inglaterra conheceu um processo de consolidação do capitalismo, suas conquistas além-mar se ampliavam assim como seu desenvolvimento interno, com a industrialização. A ampliação de mercados ganhava novas caraterísticas e baseava-se na força militar naval do país e em sua força econômica, que promovia novas conquistas.

Nesse século as relações entre os ingleses e indianos se inverteram, pois as industrias inglesas ampliaram suas exportações, invadindo a Índia através da Companhia Inglesa das Índias Orientais. A Índia, que antes exportava tecidos para a Grã-Bretanha, passou a ser mera fornecedora de matérias-primas e importadora de produtos industrializados. Ironicamente, parte do algodão, que servia de matéria-prima para os produtos das indústrias de tecelagem britânicas vinha da própria Índia. As tecelagem indianas, baseadas na produção artesanal e familiar, foram a falência, determinando um acentuado aumento na miséria da população local.

A dominação britânica foi executada na prática pela Companhia das Índias Orientais (Britânica) e implicou no controle de diversas partes do território indiano, eventualmente com a conivência de governantes locais. Para tanto os britânicos se aproveitaram das próprias divisões e rivalidades entre os povos nativos. Enquanto uma grande parte da população nativa se manteve trabalhando nas terras, uma pequena parcela foi incorporada ao exército formado pela Companhia Inglesa. Os sipaios (do híndi shipahi, "soldado") eram soldados indianos que serviam no exército da Companhia Britânica das Índias Orientais, sob as ordens de oficiais britânicos.

B)      A Guerra

Durante o século XIX a dominação estrangeira se ampliou e adquiriu novas características. Havia uma disputa entre as próprias potencias europeias, no contexto da Segunda Revolução Industrial e teorias racistas, de superioridade do homem branco, se desenvolveram com um verniz pseudocientífico. Um dos elementos novos nesse processo de neocolonialismo foi a maior presença de missionários cristãos nas áreas dominadas – inclusive na Índia – somando-se a já desenvolvida exploração econômica e à miséria acentuada.

Os Cipaios viviam uma situação contraditória, pois possuíam um trabalho, porém eram explorados e tratados de forma preconceituosa pelos ingleses, sem qualquer possibilidade de ascensão social. Organizados e unidos por suas crenças – alguns hindus, outros muçulmanos – difundiram a ideia de que os indianos seriam convertidos à força a uma nova religião, o cristianismo, por missionários ingleses, passaram a defender o fim da dominação inglesa na Índia. Esses soldados revoltaram-se sob a alegação de que os cartuchos distribuídos entre a tropa tinham sido untados com óleo de gordura animal - de vaca ou de porco – ofendendo tanto a hindus como aos muçulmanos.

As rebeliões eclodiam no inicio de 1857, atingiram diversos setores da sociedade e foram duramente reprimidas pelos ingleses. A execução de seu principal líder deu aos indianos um mártir, sua morte heroica se espalhou por diversas regiões e estimulou novas rebeliões.

Em 10 de maio de 1857 uma nova revolta eclodiu e atingiu diversos regimentos nas cidades de Kanpur, Lucknow e outras bases britânicas no norte da Índia, sendo que no mesmo dia os sipaios tomaram Delhi. Centenas de “homens brancos, estrangeiros e cristãos” forma mortos e a imprensa europeia deu grande destaque às “atrocidades sanguinárias cometidas pelos bárbaros”. Nesse momento havia uma relação de aproximadamente 8 soldados sipaios para 1 soldado britânico.

Quando os reforços chegaram da Inglaterra, seu primeiro objetivo foi retomar a cidade de Delhi. Foi uma luta sangrenta e demorada: alguns milhares de homens, mulheres e crianças foram massacrados. Após vários meses de luta contra a Grã-Bretanha retomou todo o norte da Índia. O xá Bahadur II, último imperador mogol, que apoiara a revolta, foi exilado e seus filhos executados. Em 1858 a coroa britânica assumiu a responsabilidade direta pelo governo da colônia, a rainha Vitória foi proclamada imperatriz da Índia e começou o período dos vice-reinados, acompanhada da extinção da Companhia das Índias Orientais.

 

 

Fotos / Clique para ampliar

Pesquisar em
1132 conteúdos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

Livros

O capitalismo como religião

apresenta um recorrido por ensaios do filósofo Walter Benjamin, organizado e int

Notícias

Série refaz a trajetória de líderes da Segunda Guerra

'Guerras Mundiais', que estreia no History Channel, mostra a participação de Hit

Notícias

Vou passar no ENEM

Acompanhe as orientações e dicas para enfrenar esse desafio

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET