HISTORIANET

América Colônia

A crise colonialismo espanhol

Segundo o professor Celso Furtado, pode-se dividir os três séculos de exploração espanhola sobre a América em dois períodos. Nos primeiros 150 anos a metrópole impôs sua dominação às colônias: escravizou ou dizimou os indígenas, promoveu grande exploração das riquezas minerais e desenvolveu centros de colonização que serviram de elementos condensadores da empresa colonizadora -- Havana, México e Peru, inicialmente.



Nesta fase a classe dominante era formada por homens ligados aos interesses espanhóis, os chapetones, o que explica o crescimento de alguns centros urbanos, da vida cultural e inclusive de universidades.

Nos 150 anos posteriores, após a metade do século XVII, a situação inverteu-se: declínio da produção mineradora, menor pressão sobre a população colonial, desenvolvimento de interesses regionais, específicos, fortalecendo as elites locais, principalmente agrárias, mas também grupos mercantis.

As Transformações

A partir do século XVIII a Espanha conheceu um processo de mudanças, refletindo a decadência da até então "grande potência", que pode ser percebido a partir desses elementos:



  • A decadência da mineração nas colônias;
  • O predomínio comercial inglês;
  • A Guerra de Sucessão Espanhola.

    O esgotamento das principais jazidas no México e Peru ocorria desde o século XVII, privando a Espanha de sua principal fonte de riquezas, e grande parte dos metais preciosos extraídos não se acumulavam na metrópole devido às várias guerras nas quais a Espanha se envolvera.

    A vitória inglesa na Guerra de Sucessão Espanhola e a imposição do Tratado de Utrechet (1713) determinou a ascensão de Felipe V, Bourbon, que abdicou dos direitos que possuía na França.

    Esta situação favoreceu a Inglaterra também do ponto de vista comercial já que passou a ter o direito de asiento -- direito de fornecimento anual de escravos africanos as colônias; e o permisso -- venda direta de produtos manufaturados para as colônias espanholas. Começava a ruptura do pacto colonial.

    No decorrer do século novas transformações ocorreram: o sistema de frotas anuais foi abolido permitido às colônias realizarem o comércio entre seus portos e foi extinto o sistema de Porto Único na metrópole. Essa política metropolitana refletia uma tentativa de adaptar o sistema colonial a nova realidade, na qual a Espanha deixara de ser potência hegemônica e passava a sofrer a influência de outras nações; no entanto pretendia manter o controle Filipe V retrato de Michel-Ange Houasse sobre as colônias e aumentar o lucro da burguesia e do próprio Estado.

    Em contraposição, o aumento da influência inglesa criou condições para o desenvolvimento de novas relações comerciais, contrariando o pacto colonial e consequentemente possibilitou a formação de uma mentalidade liberal -- influenciada pelos ideais iluministas -- fazendo com que parcela significativa da elite se distanciasse da metrópole.

    As reformas, que a princípio favoreceram a burguesia espanhola, a médio prazo comprometeriam o colonialismo.

    O fim do colonialismo

    Do ponto de vista metropolitano, o esgotamento do Sistema Colonial pode ser percebido no início do século XIX, época das Guerras Napoleônias, porém a Europa vivia a crise do Antigo Regime décadas antes e os efeitos da Revolução Industrial e da Revolução Francesa se faziam sentir nos países metropolitanos e foram decisivos para o movimento de independência.

    O avanço dos ideais iluministas teve grande importância tanto na metrópole, onde o questionamento do absolutismo colocou o colonialismo em cheque, quanto nas colônias, que passaram a defender a liberdade perante a Espanha.

    A invasão das tropas de Napoleão também contribuíram para a difusão do liberalismo, apesar de governar a França de forma ditatorial, o imperador representava a burguesia de seu país e o próprio ideal da Revolução.
  • Pesquisar em
    1123 conteúdos

    Notícias

    França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

    Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

    Livros

    O capitalismo como religião

    apresenta um recorrido por ensaios do filósofo Walter Benjamin, organizado e int

    Notícias

    Série refaz a trajetória de líderes da Segunda Guerra

    'Guerras Mundiais', que estreia no History Channel, mostra a participação de Hit

    Notícias

    Vou passar no ENEM

    Acompanhe as orientações e dicas para enfrenar esse desafio

    COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

    PRODUZIDO POR

    SOBRE O HISTORIANET