HISTORIANET

Atualidades

A ameaça nazista ronda a Áustria

A formação de um governo composto por representantes do Partido da Liberdade, de extrema direita, esta provocando grande polêmica no mundo e, em especial nos países da União Européia, Estados Unidos e Israel.
É a primeira vez que um grupo nazista chega ao comando de um Estado, em um país europeu, desde a Segunda Guerra Mundial. O líder desse partido, Joerg Haider, declarou suas simpatias por Hitler e chegou a condecorar soldados da SS que participaram da guerra.
O novo governo foi formado sob comando do Partido Popular, de centro direita, sendo que o ministério é composto por 6 representantes de cada um dos partidos políticos.



Joerg Haider - líder nazista



A Formação do governo da Austria é a seguinte: No Parlamento:
52 deputados ( 26,91%) do Partido Popular 52 deputados ( 26,91%) do Partido da Liberdade 65 deputados ( 33,15%) do Partido Social Democrata 14 deputados ( 7,1% ) do Partido Verde

A nova Aliança ministerial:

Partido Popular: Chanceler, interior, agricultura, economia, educação, exterior; Partido da Liberdade: Vice-chancelaria, justiça, finanças, defesa, infraestrutura e ass. Social

O novo Chanceler (1° ministro) é Wolfgang Schüssel, do Partido Popular

O Totalitarismo

O Totalitarismo é caracterizado pela centralização e pela imposição dos valores do Estado sobre os valores individuais. No totalitarismo, todas as atividades, econômicas, religiosas, sociais ou culturais são controladas pelo Estado, que por sua vez fica sob domínio de um único partido ou um único chefe político. Os grupos que defendem o totalitarismo são anti-liberais Ao final da Primeira Guerra mundial, os impérios haviam sido derrotados e os países liberais lideraram a reorganização mundial, liderados por EUA, Inglaterra e França - os 3 grandes - que mantiveram o colonialismo e determinaram uma política imperialista também na Europa, impondo condições amargas aos países derrotados, marginalizando a Itália e impondo uma nova divisão geopolítica `a região: Formou-se o "leste europeu" e a Iugoslávia. Na Europa pós Primeira Guerra, todos os países passaram a ter regimes políticos liberais, com exceção da Rússia Soviética.
No entanto, a crise econômica de várias nações, a insatisfação de vários países com os acordos de paz e a "ameaça socialista", fez surgir vários partidos nacionalistas e forte oposição aos governos e princípios liberais, propondo em oposição, o estabelecimento de um governo forte, ao qual a população deveria estar subordinada, como única forma de recuperação, estabilidade e prosperidade.
Foi nesse contexto que surgiu primeiro o fascismo na Itália, liderado por Benito Mussolini e posteriromente o Nazismo na Alemanha, liderado por Adolf Hitler.

O NAZISMO

A exaltação do sentimento nacionalista tornou-se muito intensa desde o final da guerra, principalmente nas fileiras do exército, que apesar das conquistas que havia obtido durante o conflito, fora obrigado a render-se. Qual a explicação para essa situação? De uma forma geral, o isolamento da Alemenha. Sem colônias ou aliados o exército não teria outra opção.
Mas por que a Alemanha não tinha colônias ou aliados? Bem, nesse caso a resposta é mais complexa e envolve todo o desenvolvimento da economia mundial a partir da política neocolonialista e imperialista. Os aliados da Alemanha foram derrotados no decorrer do conflito.
Uma das formas de explicar a derrota alemã foi procurando os culpados dentro da própria Alemanha e desta forma, a necessidade de se achar um culpado e o preconceito arraigado contra os judeus, foram utilizados para fortalecer o nacionalismo e consequentemente o anti semitismo, bases da teoria nazista.
Em 1918, terminada a guerra, o Segundo Reich foi extinto e deu lugar a um regime republicano, parlamentarista, de tendência liberal. Os novos governantes acitaram as condições impostas pelo Tratado de Versalhes, aprofundando a crise econômica. No ano seguinte, a Liga Espartaquista, grupo comunista organizou um golpe, que mesmo fracassado, serviu para estimular os movimento mais conservadores, como a fundação do Partido Nacional Socialista (NAZISTA) que, exaltando o nacionalismo, contou com o apoio da burguesia, de setores de classe média, da Igreja Católica, militares e de grande número de desempregados. A primeira tentativa de chegar ao poder por parte dos nazistas ocorreu em 1923 - Putsch de Munique - que ao fracassar, levou seu principal líder, Hitler, à prisão. Durante a década de 20 o Partido Nazista cresceu, apoiado em uma teoria melhor definida, em forte propaganda, na ação terrorista de seus grupos paramilitares e aproveitando-se da crise econômica e do elevado nível de desemprego.
Os elementos que melhor expressam a doutrina nazista são: o nacionalismo exarcebado, o anti liberalismo, anti comunismo, anti semitismo, defendia ainda a "Teoria do espaço Vital", justificando o ideal expansionista. A crise iniciada em 1929 afetou duramente a Alemanha e consequentemente o governo liberal. Os Nazistas aproveitaram-se desta situação e em 1932, obtendo expressiva vitória eleitoral, fato que levou Hitler ao cargo de Chanceler em Janeiro de 1933. Em 27 de fevereiro as organizações paramilitares nazistas incendiaram o Parlamento, atribuindo a culpa aos comunistas, que foram violentamente perseguidos, muitos eliminados, possibilitando então a vitória dos nazistas das eleições do mês seguinte, que daria a Hitler plenos poderes.





PASSADO E PRESENTE

Uma das maiores preocupações em relação ao novo governo da Áustria refere-se à política frente aos imigrantes. O neonazismo que desenvolveu-se em vários países da Europa nas duas últimas décadas teve como principal motivação o preconceito de origem racial, atingindo comunidades de origem africana, do leste europeu, Turquia ou do Oriente Médio, acusadas como responsáveis pelas dificuldades econômicas de diversos países, uma vez que tirariam o trabalho de muitos e ainda determinariam gastos "sociais" por parte dos governos.

Pesquisar em
1128 conteúdos

Notícias

MASP

Passagens por Paris - Arte moderna na capital do séc. XIX

Notícias

Universidades latinas atraem poucos estrangeiros

Instituições têm melhorado sua presença em rankings internacionais, mas continua

Roteiros de Aula

Ninguém tira Zero

Província elimina nota zero para proteger autoestima de alunos

Notícias

França e Alemanha lembram 100 anos da Primeira Guerra

Presidentes Hollande e Gauck homenageiam mortos nas batalhas e destacam importân

COPYRIGHT © HISTÓRIANET INTERNETWORKS LTDA

PRODUZIDO POR

SOBRE O HISTORIANET